28 janeiro, 2007

"OS REIS FAZEM A HISTÓRIA" - Através da leitura de contos, compreendemos a História de Portugal

Semana após semana, os alunos da turma A do 4º Ano têm vindo à nossa Biblioteca ler com a Professora Guida. A colecção escolhida é "Era uma vez um Rei", que revela de forma lúdica a vida de alguns reis, desde a sua infância, onde se revelaram meninos como eles, até aos grandes feitos que os notabilizaram.
Depois vem o trabalho de articulação com a sala de aula:
Os alunos estão a construir um friso cronológico e, para cada Rei, há um grupo responsável pela pesquisa. Voltam então à Biblioteca para investigar e produzir um pequeno texto sobre o seu Rei.

A Natacha e o Tiago foram os responsáveis por:

D. Afonso Henriques

Em 1109 D. Afonso Henriques terá nascido em Coimbra e foi, possivelmente, criado em Guimarães onde viveu até 1128.
Em 1185 Afonso Henriques morre na cidade em que nasceu.
Os marcos mais importantes da sua vida foram os seguintes:
Em 1128, D. Afonso Henriques lutou contra a sua mãe, D. Teresa, numa batalha que ficou conhecida como batalha de S. Mamede, terra perto de Guimarães.
Em 1139, na batalha de Ourique D. Afonso Henriques derrotou os mouros com ajuda de Jesus porque, segundo diz a lenda, D. Afonso Henriques viu Jesus pendurado numa árvore no crucifixo e disse a ele que o ia ajudar na batalha.
Em 1143 D. Afonso Henriques assinou o Tratado de Zamora para tornar Portugal independente.
Só em 1179 é que ele foi reconhecido rei de um Portugal independente com a Bula que deu o Papa.
A Joana e o Gonçalo Picaró investigaram:

D. Dinis

D. Dinis nasceu em 9 de Outubro de 1261, e morreu em Santarém a 7 de Janeiro de 1325. Casou em 1288 com D. Isabel.
D. Dinis foi o sexto rei de Portugal e teve 4 filhos: D. Pedro A. D. Afonso S. D. João A. D. Maria A.
D. Dinis governou 46 anos.
Travou uma guerra com Castela.
Foi um grande impulsionador da nossa marinha.Deve-se ainda a D. Dinis um grande impulso na cultura nacional.
O Rui Nascimento e o Ruben Nicha pesquisaram sobre:
D. Pedro I

D. Pedro I nasceu em 8 de Abril de 1320 e morreu em 18 de Janeiro em 1367.
Durante o seu reinado conseguiu aumentar o tesouro, evitando guerras. Os vestígios que ainda existem de D. Pedro I são: a Quinta das Lágrimas, porque foi neste local que Inês chorou as suas últimas lágrimas quando foi morta e o Mosteiro de Alcobaça onde D. Pedro I mandou construir um bonito túmulo para que dona Inês de Castro ficasse enterrada ao pé de si.

2 comentários:

barbara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Muito fixe deviam continuar!!!